G/ GAIMAN & MCKEAN
Informação técnica 
Graphic Novel
GAIMAN, Neil et McKEAN, Dave “The Comical Tragedy or Tragical Comedy of Mr. Punch”
London, 2006, Bloomsbury Publishing
Razões da escolha
Sou leitora assídua das graphic novels escritas por Neil Gaiman e disfruto especialmente quando as imagens são criadas pelo Dave McKean, é a junção perfeita para dar forma a um universo peculiar.
Sumário
A graphic novel fala sobre a passagem da infância para a vida adulta e fá-lo contando a história de um rapaz que vai passar o verão a casa dos avós em Porthsmouth, uma cidade do litoral da Inglaterra. Enquanto está lá vai descobrindo histórias sobre a sua família, compreendendo-as através de um teatro de marionetas tradicional e violento – Judy e Mr. Punch.
A atmosfera das imagens é sombria e as experiências e memórias do jovem protagonista também.
Fundamentação teórica
Existe uma beleza estranha nas ilustrações de McKean, turvas, distorcidas, escuras e por vezes macabras. Os românticos, por exemplo na pintura dos pré-rafaelitas, já experienciávam plenamente esse gosto pelo macabro, que se opunha à Beleza idealizada dos classicistas. Era a exaltação da estética do feio e do grotesco. O romantismo não tem problema em cantar os lugares como cemitérios e campos de batalha e de expôr a crueldade da vida. No livro Mr. Punch também a psique atormentada do protagonista surge sob a forma de imagens distocidas e a representação da deficiência física do seu tio-avô não se tenta minimamente esconder, pelo contrário, ela é parte fulcral da história, a exploração da fealdade e fraqueza.
Muito frequentemente ao longo do livro é também o uso de fotografia manipulada para veicular a ideia de memória ou sonho. Mais frequentemente é utilizado desenho para descrever acções na narrativa que ocorrem no tempo presente do que, como seria de esperar, a fotografia. A fotografia opõe-se ao real palpável, funciona como parte do material mental, uma construcção, nunca totalmente credível e muitas vezes deformada, tal como a nossa própria memória. Há até quem diga que a fotografia não é uma forma de nos recordarmos, mas antes um modo de esquecermos, transferindo a nossa memória para a película.
Curiosidades
A peça Punch and Judy deriva de um teatro de marionetas italiano que foi posteriormente trazido para Itália.

G/ GAIMAN & MCKEAN

Informação técnica 

Graphic Novel

GAIMAN, Neil et McKEAN, Dave “The Comical Tragedy or Tragical Comedy of Mr. Punch”

London, 2006, Bloomsbury Publishing

Razões da escolha

Sou leitora assídua das graphic novels escritas por Neil Gaiman e disfruto especialmente quando as imagens são criadas pelo Dave McKean, é a junção perfeita para dar forma a um universo peculiar.

Sumário

A graphic novel fala sobre a passagem da infância para a vida adulta e fá-lo contando a história de um rapaz que vai passar o verão a casa dos avós em Porthsmouth, uma cidade do litoral da Inglaterra. Enquanto está lá vai descobrindo histórias sobre a sua família, compreendendo-as através de um teatro de marionetas tradicional e violento – Judy e Mr. Punch.

A atmosfera das imagens é sombria e as experiências e memórias do jovem protagonista também.

Fundamentação teórica

Existe uma beleza estranha nas ilustrações de McKean, turvas, distorcidas, escuras e por vezes macabras. Os românticos, por exemplo na pintura dos pré-rafaelitas, já experienciávam plenamente esse gosto pelo macabro, que se opunha à Beleza idealizada dos classicistas. Era a exaltação da estética do feio e do grotesco. O romantismo não tem problema em cantar os lugares como cemitérios e campos de batalha e de expôr a crueldade da vida. No livro Mr. Punch também a psique atormentada do protagonista surge sob a forma de imagens distocidas e a representação da deficiência física do seu tio-avô não se tenta minimamente esconder, pelo contrário, ela é parte fulcral da história, a exploração da fealdade e fraqueza.

Muito frequentemente ao longo do livro é também o uso de fotografia manipulada para veicular a ideia de memória ou sonho. Mais frequentemente é utilizado desenho para descrever acções na narrativa que ocorrem no tempo presente do que, como seria de esperar, a fotografia. A fotografia opõe-se ao real palpável, funciona como parte do material mental, uma construcção, nunca totalmente credível e muitas vezes deformada, tal como a nossa própria memória. Há até quem diga que a fotografia não é uma forma de nos recordarmos, mas antes um modo de esquecermos, transferindo a nossa memória para a película.

Curiosidades

A peça Punch and Judy deriva de um teatro de marionetas italiano que foi posteriormente trazido para Itália.

G/ GAIMAN & MCKEAN
Informação técnica 
Graphic Novel
GAIMAN, Neil et McKEAN, Dave “The Comical Tragedy or Tragical Comedy of Mr. Punch”
London, 2006, Bloomsbury Publishing
Razões da escolha
Sou leitora assídua das graphic novels escritas por Neil Gaiman e disfruto especialmente quando as imagens são criadas pelo Dave McKean, é a junção perfeita para dar forma a um universo peculiar.
Sumário
A graphic novel fala sobre a passagem da infância para a vida adulta e fá-lo contando a história de um rapaz que vai passar o verão a casa dos avós em Porthsmouth, uma cidade do litoral da Inglaterra. Enquanto está lá vai descobrindo histórias sobre a sua família, compreendendo-as através de um teatro de marionetas tradicional e violento – Judy e Mr. Punch.
A atmosfera das imagens é sombria e as experiências e memórias do jovem protagonista também.
Fundamentação teórica
Existe uma beleza estranha nas ilustrações de McKean, turvas, distorcidas, escuras e por vezes macabras. Os românticos, por exemplo na pintura dos pré-rafaelitas, já experienciávam plenamente esse gosto pelo macabro, que se opunha à Beleza idealizada dos classicistas. Era a exaltação da estética do feio e do grotesco. O romantismo não tem problema em cantar os lugares como cemitérios e campos de batalha e de expôr a crueldade da vida. No livro Mr. Punch também a psique atormentada do protagonista surge sob a forma de imagens distocidas e a representação da deficiência física do seu tio-avô não se tenta minimamente esconder, pelo contrário, ela é parte fulcral da história, a exploração da fealdade e fraqueza.
Muito frequentemente ao longo do livro é também o uso de fotografia manipulada para veicular a ideia de memória ou sonho. Mais frequentemente é utilizado desenho para descrever acções na narrativa que ocorrem no tempo presente do que, como seria de esperar, a fotografia. A fotografia opõe-se ao real palpável, funciona como parte do material mental, uma construcção, nunca totalmente credível e muitas vezes deformada, tal como a nossa própria memória. Há até quem diga que a fotografia não é uma forma de nos recordarmos, mas antes um modo de esquecermos, transferindo a nossa memória para a película.
Curiosidades
A peça Punch and Judy deriva de um teatro de marionetas italiano que foi posteriormente trazido para Itália.

G/ GAIMAN & MCKEAN

Informação técnica 

Graphic Novel

GAIMAN, Neil et McKEAN, Dave “The Comical Tragedy or Tragical Comedy of Mr. Punch”

London, 2006, Bloomsbury Publishing

Razões da escolha

Sou leitora assídua das graphic novels escritas por Neil Gaiman e disfruto especialmente quando as imagens são criadas pelo Dave McKean, é a junção perfeita para dar forma a um universo peculiar.

Sumário

A graphic novel fala sobre a passagem da infância para a vida adulta e fá-lo contando a história de um rapaz que vai passar o verão a casa dos avós em Porthsmouth, uma cidade do litoral da Inglaterra. Enquanto está lá vai descobrindo histórias sobre a sua família, compreendendo-as através de um teatro de marionetas tradicional e violento – Judy e Mr. Punch.

A atmosfera das imagens é sombria e as experiências e memórias do jovem protagonista também.

Fundamentação teórica

Existe uma beleza estranha nas ilustrações de McKean, turvas, distorcidas, escuras e por vezes macabras. Os românticos, por exemplo na pintura dos pré-rafaelitas, já experienciávam plenamente esse gosto pelo macabro, que se opunha à Beleza idealizada dos classicistas. Era a exaltação da estética do feio e do grotesco. O romantismo não tem problema em cantar os lugares como cemitérios e campos de batalha e de expôr a crueldade da vida. No livro Mr. Punch também a psique atormentada do protagonista surge sob a forma de imagens distocidas e a representação da deficiência física do seu tio-avô não se tenta minimamente esconder, pelo contrário, ela é parte fulcral da história, a exploração da fealdade e fraqueza.

Muito frequentemente ao longo do livro é também o uso de fotografia manipulada para veicular a ideia de memória ou sonho. Mais frequentemente é utilizado desenho para descrever acções na narrativa que ocorrem no tempo presente do que, como seria de esperar, a fotografia. A fotografia opõe-se ao real palpável, funciona como parte do material mental, uma construcção, nunca totalmente credível e muitas vezes deformada, tal como a nossa própria memória. Há até quem diga que a fotografia não é uma forma de nos recordarmos, mas antes um modo de esquecermos, transferindo a nossa memória para a película.

Curiosidades

A peça Punch and Judy deriva de um teatro de marionetas italiano que foi posteriormente trazido para Itália.

Posted 3 years ago View high resolution

About:

26 escolhas e o seu respectivo suporte teórico.
2011